Livro de Artista

Aqui estarão sendo publicadas imagens produzidas pelo Projeto Alfarrábios. Este projeto reúne artistas residentes em Brasília que criam cadernos com suas imagens e escritos que depois os trocam entre si. Assim, fazem circular suas imagens por uma lista de artistas com propostas e estilos diferentes. Cada artista recebe o caderno, usa algumas páginas como lhe convem. Depois de um certo período, o grupo volta a se encontrar para novas trocas.

03 abril 2006

Trocas poéticas entre artistas

Livro de Manoela Afonso com interferencias de Daniel Dinelli.
---------------------------------------------
É nisso que dá deixar seu caderno na mão de um artista!!!!
Parabéns Daniel e Manoela pelo belo resultado do casamento de suas imagens! Parabéns todos que fazem parte dessa troca poética delirante!
Parafraseando Neuton, "vida longa para o Projeto Alfarrábios !"

Preparaem-se para a terceira troca de livros

Alfarrábios ganha novos participantes


A segunda troca de livros aconteceu no sábado passado, dia 01 de abril e contou com a participação de Daniel Dinelli, Luiza Flores, Massimo Massaglia, Michelle Cunha, Mônica Barbosa, Manoela Afonso e de mais cinco novos participantes: Agda, Sedicla, Alexandre e Solange, além de Neuton Chagas, artista paraense, que nos presenteou com seu caderno enviado de Belém.
A participação de um artista de longe nos permitiu outra possibilidade de troca de cadernos e ainda o fomento de criação de outros grupos em outras cidades que possam estar interagindo com o grupo que está crescendo aqui em Brasília.

O proximo encontro está agendado para o dia 08 de abril, antecipado em função dos feriados que virão.

Qual será a proxima surpresa? quais serão os proximos participantes? o que esta ultima troca vai nos trazer de novas imagens? veremos dia 08. Até lá!

Noticias do Alfarrábios no The Retrojornal


The Retrojornal - 29 de Março de 2006


Atenção...gravando!
Por Manoela Afonso
Alfarrábios

– Livros de artista em Brasília-

Quem, quando adolescente, não fez um caderno com poesias, desenhos e colagens? Ou quando criança não adorava rabiscar os livros e revistas de seus pais? Muitas pessoas carregam consigo diários ou cadernos de anotações onde rabiscam, escrevem, desenham, anotam o sonho da noite passada, registram compromissos, histórias, projetos, idéias e objetivos a serem cumpridos na semana que vem, no mês que vem, no ano que vem ou daqui a 30 anos. Esses cadernos, agendas, diários e livros revelam todo um processo de criação e de estruturação de pensamento. Paulo Silveira, em seu belo livro “A página violada”, chama a atenção para o fato de que livros como os de William Blake (publicados entre 1788 e 1821) e cadernos de Leonardo da Vinci (dos séculos XV e XVI) poderiam muito bem ser considerados livros de artista. Mas esse termo só foi legitimado e conceituado por volta das décadas de 60 e 70, período em que artistas de diversos países se apropriaram do formato “livro” para realizarem suas obras. Nos anos 80 o livro de artista muitas vezes caracterizou-se pela sua forma ousada de livro-objeto. Artistas passaram a desenvolver um “não-livro”, ou seja, um objeto artístico em forma de livro, mas destituído de toda a sua função literária. As técnicas utilizadas eram as mais diversas: desenho, colagem, pintura, gravura, xerox, escultura. Seus formatos e materiais variavam muito, de papel e madeira a ferro, cerâmica, entre outros. Em Brasília existe um projeto de troca de livros de artista chamado Alfarrábios, o qual coordeno em conjunto com a artista visual Michelle Cunha. Ele teve início no dia 18 de março desse ano e a sua proposta é reunir artistas para a troca de poéticas, registros e olhares através do livro-arte. No primeiro encontro estiveram presentes Daniel Dinelli, Luiza Flores, Massimo Massaglia, Michelle Cunha, Mônica Barbosa e eu (todos artistas residentes em Brasília). Cada livro, já com algumas intervenções, foi apresentado por seu autor e, em seguida, realizou-se um sorteio para a definição da troca. Cada livro torna-se, então, uma obra coletiva sempre em construção e em infinita transformação.

A segunda troca será realizada no dia 01 de abril, na Galeria Usina das Artes às 16 horas. Já contamos com um número dobrado de participantes. O grupo é aberto e tende a crescer a cada troca. Então, todos estão convidados! Tragam o seu livro e participem dessa troca de poéticas!
O endereço é: CLS 113 - Bl. C - Loja 30. Tel/fax: (61)3346-3498 e-mail: usinadasartes@yahoo.com.br Apreciem um pouco mais da produção em: http://livrodeartista.zip.net http://www.livrodeartista.blogspot.com
Dica de leitura: SILVEIRA, Paulo Antonio. A página violada: da ternura à injúria na construção do livro de artista. Porto Alegre: ed. Universidade/UFRGS, 2001.